sábado, 25 de junho de 2011



Quem conhece a sua ignorância
revela a mais profunda sapiência.
Quem ignora a sua ignorância
vive na mais profunda ilusâo.
Lao Tse



sexta-feira, 24 de junho de 2011

A CHUVA PASSOU?





   Não vi o acontecido, mas conheci o autor da proeza.
   Em uma estradinha de chão no interior, onde eu morava quando pequeno, era comum pedir carona à aqueles poucos que possuíam veículos.
   Certo dia o senhor, do caso, pediu carona para uma camionete que ia em direção a sua casa:
-Pode embarcar, mas terá que ir em cima, a cabine esta lotada, e mais, estou levando um caixão para um vizinho que faleceu esta tarde.
-Por mim tudo bem.
   Pouco depois principiou uma chuva, além de ser noite, e o caroneiro não pensou duas vezes, para não se molhar entrou dentro do caixão,deixando uma pequena fresta para respirar.
   Logo adiante, dois outros caboclos também pediram carona,quando subiram na carroceria,ficaram com um pé atrás ao verem o caixão.
   Imaginem o tremendo susto quando o caixão se abriu e foram interpelados;
-A chuva passou?
   Não tiveram dúvida, pularam longe.
   Sorte que o carro ainda estava parado.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Mais um golaço da (In) justiça brasileira




O julgamento de Cesare Batistti demonstrou, mais uma vez, a incapacidade da justiça nacional. E o exemplo veio da mais alta Corte do país. O italiano, reconhecidamente um terrorista assassino, foi absolvido e será solto nas próximas horas. O simples fato dele ter entrado no Brasil com passaporte falso prova sua culpalidade.
  O que os senhores ministros do Supremo estão querendo com isso?
  Abriram um precedente para que um brasileiro, por pior que seja, nunca mais será devolvido para o Brasil no caso de se asilar na Itália.
  Estão preparando terreno pára, talvez, terem um canal de escape em futuras falcatruas que possam acontecer.
   À César o que é de César, e o Cesare aos italianos.
   Outro fato esta semana, entre muitos que acontecem diariamente, foi a renúncia de Palocci. Pouca vergonha, apronta e sai de liso, amparado pelos seus companheiros imorais.
    Sua história esta repleta de fatos condenáveis e mesmo assim passa a régua e vai embora. O acusado decidiu se seria julgado ou não. Apenas o fato de se recusar a ir ao senado dar explicações demonstra que seu caráter não é ilibado.
   Coisas do Brasil.

quarta-feira, 8 de junho de 2011



     Estou ciente de que muitos não compartilham minha opinião, ainda bem, se todos pensassem igual quão monótona seria a vida.
     Com relação ao jogo de despedida do Ronaldo, o que tive foi um sentimento de tristeza e desagrado com a forma física do referido jogador.
     Quinze minutos de jogo e outras tantas cusparadas depois, o já ex -atleta praticamente arrastou-se na melancólica volta olímpica.
     Com todo o seu dinheiro e contando com os mais novos avanços da medicina, apresentou-se dessa forma aos trinta e quatro anos de idade, imaginem daqui a cinco, dez anos.
   Há! Ele tem problemas de saúde. Passou por cirurgias no joelho, tem tendência para a obesidade, etc...
Que conforto traz para nós, que não dispomos dos recursos que ele dispõe?
   Confesso, sinceramente, que fiquei deprimido por algumas horas. Se o grande ídolo encontra-se nesta situação, o que pensar do meu futuro com cinco cirurgias de coluna, entre outras?
   Foi um grande jogador?
   Foi, sem dúvida. Mas ganhou, e muito, por isso.
   Eu também fui um grande marceneiro. Conheço muitas pessoas que foram grandes em suas profissões e nunca tiveram um reconhecimento digno.
   É o que penso.
   Concorda?
   Não?
  Tudo bem, respeito sua opinião.